Trabalhando para trazer o melhor a voçê

Dias difíceis são dias para crescer


Gafisa SA, quarta maior construtora do País em receita, recuava pelo segundo dia consecutiva após o presidente, Alceu Duilio Calciolari, não conseguir acalmar o receio de que a companhia enfrenta problemas de financiamento diante da queda de lucro.

A queda “exagerada” é resultado de receios dos investidores em relação aos custos de financiamento maiores que o esperado em uma venda de notas promissórias. A Gafisa emitiu R$ 230 milhões dos papéis em duas séries com prazo de 360 dias, a primeira a 126 por cento da taxa média diária de juros dos Depósitos Interfinanceiros e a segunda, a 125 por cento.

Só quem está “pedindo socorro” concordaria com essa taxa “salgadíssima”, disse  Pedro Galdi, estrategista-chefe da SLW Corretora, em entrevista  a revista exame. “Onde a Gafisa vai aplicar esse dinheiro para ter um retorno acima dessa taxa?”

Liderando as quedas

A Gafisa acumula uma perda de 65 por cento no ano, a maior entre os 20 membros do índice BM&FBovespa Real Estate, que caiu 28 por cento no mesmo período. O lucro da companhia recuou 60 por cento no terceiro trimestre na comparação anual com a elevação dos custos da Construtora Tenda SA.

Os receios em torno da capacidade da Gafisa de conduzir um plano para reduzir o negócio de baixa renda na Tenda e focar mais na unidade de alta renda Alphaville Urbanismo SA podem também estar influenciando as quedas, disse o executivo.
O Produto Interno Bruto do País deve crescer 2,9 por cento neste ano, segundo a pesquisa Focus do Banco Central.
Apesar de a Gafisa dizer no comunicado, que os recursos obtidos com a venda das notas promissórias serão usados como capital de giro, para “usos gerais”, o executivo disse que pretende usá-los como empréstimo-ponte de um plano “estratégico”, que terá andamento nos próximos quatro meses. A companhia não está usando a venda para melhorar seu fluxo de caixa ou refinanciar dívida, já que possui R$ 800 milhões em caixa, disse Calciolari.
“Toda a história triste da Tenda é uma história super feliz na Alphaville”, disse Rodrigo Osmo, presidente da Tenda e ex-diretor financeiro da Gafisa, em entrevista por telefone em 15 de dezembro. “A perspectiva pra frente é de geração de caixa.”


fonte:
InfomoneyExame

Nenhum comentário:

Postar um comentário